Saphire HD4890 Toxic Review

Baseando-se na termodinâmica do líquido evaporação, a Vapor-X permite que o núcleo do GPU trabalhe a temperaturas mais baixas ao mesmo tempo que requer menor arrefecimento, garantido um funcionamento mais agradável do ponto de visto do ruído. Trata-se de uma tecnologia bastante eficaz e com provas dadas, esta tecnologia no caso desta gráfica tem ainda outra vantagem: permite que as velocidades de relógio sejam um pouco aceleradas face ao modelo padrão, o que tem como resultado um desempenho mais consistente e de acordo com as reais capacidades do motor gráfico. Na prática, pudemos assistir a pequenos ganhos em todos os jogos testados, excepto no caso de GRID em que esta gráfica perdeu algumas dezenas de fps (frames por segundo). No entanto, no geral estamos a falar de resultados impressionantes que permitem à placa chegar perto da GTX 275 da Nvidia, ultrapassando-a até em alguns testes. Privilegiando um funcionamento estável, foi possível levar a Toxic um pouco mais longe de que é habitual o processador da gráfica foi para lá dos 1000 MHz, o que possibilitou o ganho de mais alguns fps em tudo o que lhe foi dado para processar. As boas notícias não param por aqui, que tiver coragem pode leva-la ainda mais longe. Apesar de todos os avanços que a Sapphire demonstrou ter, o chipset não consegue competir com os chipset’s da Nvidia.

Preços Lojas: entre 230 e 240 euros (Portugal)

Comentários